O Barato saiu caro



Caro amigo, imaginemos a seguinte cena. Estamos nos atrios da estação de Santa Apolónia em Lisboa. Um homem da provincia sai da estação e apanha um táxi. Quando chega ao seu destino pergunta ao taxista quanto é. Paga a importância, mas jura que nunca mais andará de táxi em Lisboa. E porquê? Porque acha os táxis de Lisboa muito caros - muito caros mesmo. Voltemos à mesma estação e chegamos a tempo de ver um turista estrangeiro entrar num táxi. Em imaginação, vamos acompanhar este homem até ao seu destino. Pergunta: "Quanto é?" e fica maravilhado com o preço. Pois, quanto a ele, os táxis de Lisboa são os mais baratos da Europa. Assim, caro amigo, o que para um é muito caro, para o outro é muito barato. Hoje vamos falar de dois casos. Um, quando alguém pagou muito dinheiro por uma coisa relativamente barata. E o outro, quando o que custou muito pouco saíu muito caro mesmo. São duas histórias intrigantes .......

Aconteceu num leilão. Pouco a pouco o lanço foi subindo no remate. Principiando com uma base de mil dólares, já ia subindo a vinte mil. O leiloeiro comecou a transpirar, o público a escutar com mais atenção e os licitantes a fazer contas mentais sobre as suas possibilidades. O leilão seguiu: 25.000; 30 mil; 40 mil. O leiloeiro pensava: "Isto já é um absurdo". Mas, havia mais uma oferta. 47 mil dólares. E o leiloeiro, na pequena cidade de Anaheim, na Califórnia, baixou o martelo: "Vendido ao Sr. Wright por 47 mil dólares. O que foi, afinal, que o sr. Wright comprara? Uma boneca alemã, feita à mão em 1910. O comprador, um famoso coleccionador de bonecas, fez a observação: "Cara, mas bela" .......

Caro amigo, um dos grandes negócios no mundo dos ricos é o leilão de antiguidades e curiosidades. Nesses negócios as coisas mais inverosímeis podem alcançar preços fabulosos. Um botão antigo; um castiçal usado por Napoleão; um cinturão que usou María Antonieta, vendem-se por centenas de milhares de dólares. Esta vez foi uma boneca. Uma boneca que o comprador queria muito. Uma boneca que, se fosse feita com os processos mecânicos de agora, valia apenas um par de dólares, e mais nada. "Muito cara, mas bela" disse o homem .......

Há muitas coisas assim, caro amigo. Coisas bonitas, atraentes, mas que têm um preço muito elevado. A droga, por exemplo. Quantos jovens acham a experiência com a droga um prazer, uma sensação maravilhosa, inesquecível. Mas, depois, descobrem, para inverter as palavras do comprador da boneca, que foi "bela ..... mas muito cara". Pois custou-lhes não só o dinheiro que gastaram, como também a saúde, a honra, a pureza e, em alguns casos, a própria vida. O sexo ilícito, também, parece uma coisa bonita, bela. Mas, depois, quando se vê a família fragmentada, arruinada e os filhos abandonados, compreende-se, e tarde demais, que foi uma experiência "bela ..... mas muito cara". Na realidade, o que parecia belo era, afinal, feio ...... e muito caro .......

O nosso segundo caso foi um pouco diferente. E, até, parecia algo ridículo, ou um truque do vendedor. Aconteceu num "stand" de automóveis usados na cidade de Michigan, nos EUA. onde vendiam carros dos anos 60 por um preço incrível - 99 centavos de dólar. E Nicola David, de 18 anos, comprou um Buick, modelo 1968, por essa soma ridícula. Afinal, era tudo uma artimanha publicitária. No caminho de volta para sua casa, situada apenas a 15 quilómetros do local, deiu boleia ao seu amigo Guilherme. Mas nunca chegaram ao seu destino. As emanações de monóxido de carbono desse automóvel velho e maltratado mataram os dois. Afinal, algo comprado sumamente barato tinha saído extremamente caro. Mais uma vez teve razão o ditado: "O barato sai caro" .......

Ora, caro amigo, quantas coisas há na vida que parecem muito baratas e logo resultam atrozmente caras? Por exemplo, quanto vale um maço de cigarros? Relativamente pouco dinheiro. Mas, para milhares de pessoas, tem sido a causa de cancro dos pulmões. E para voltar ao assunto da droga. Quanto custa um pequeno pacote de marijuana? Inicialmente, pouco dinheiro. Mas este pequeno pacote cria um apetite pelas drogas mais pesadas que chegam a custar milhares de contos e, finalmente, conduz à morte. Quanto custa um jantar num restaurante, com muito vinho e depois um quarto alugado num hotel? Porém se esse jantar, esse vinho e esse quarto terminam em adultério, podem custar toda a felicidade de um lar .......
Vivemos, caro amigo, nos dias dos saldos instantâneos. Toda a gente anda atrás das pechinchas. Querem tudo com bons descontos: roupa, comida, viagens, amigos, relações, casamentos, religião, igreja, Deus. Querem tudo barato, muito barato, e o mais depressa possível. Queremos tudo assim, mas não damos conta que por não pagar o justo preço das coisas, no fim de contas, saimos perdendo tudo e completamente derrotados. Quantos casamentos têm fracassado porque nem o marido nem a mulher quiseram pagar o preço necessário para garantir a felicidade? Logo ao aparecimento do primeiro problema dizem "adeus" ao compromisso tomado. E as nossas relações com Deus? Se esta relação com Deus requer uma entrega total da nossa vontade, já não a queremos porque consideramos que é um preço muito alto e, assim escolhendo, forjamos a nossa própria destruição espiritual porque não queremos pagar o preço exigido .......
Mas, amigo, assim como o barato sai mais caro, o caro sai mais barato. Quer dizer, podemos pagar muito e, finalmente, receber em troca algo de pouco valor. E tudo isto está de acordo com as palavras do Senhor Jesus Cristo, que passamos agora a citar: "Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará. Porque, que aproveita ao homem granjear o mundo todo, perdendo-se, ou prejudicando-se a si mesmo?". A verdade é que a vida, por mais bela que pareça, sem Cristo, não presta para nada, prezado amigo.

Postar um comentário

Já que você está aqui, por que não dar uma palavrinha sobre este post?